Sim, email marketing ainda existe (e funciona!)

Email marketing ainda existe (e funciona)

Email marketing ainda existe (e funciona)

Não é de hoje que futuristas e gurus digitais afirmam que o email está fadado a desaparecer. Sentenças como essas são proferidas há 2, 3, 5, 10 anos. E todas até o momento tem se mostrando infundadas.

O número de contas de email criadas e de mensagens enviadas não param de crescer.

O incrível potencial do e-mail marketing em construir relacionamento com o público e em gerar vendas faz dessa ferramenta uma das mais utilizadas pelos profissionais de marketing no mercado.

Seus resultados são comprovados e uma pesquisa da ExactTarget apurou que 68% dos profissionais da área acreditam que o e-mail marketing é extremamente importante para os negócios.

Uma ferramenta de tamanha importância precisa ser utilizada em sua totalidade, por isso, esse post vai mostrar 5 dicas sobre como melhorar ainda mais os resultados de suas campanhas.
1) Segmentar é preciso

Segmentar sua lista de contatos permite que seus envios ganhem qualidade e gerem mais resultados. Para isso, é preciso coletar as informações dos usuários.

Uma ótima maneira de fazer isso é por meio de iscas digitais, oferecendo um arquivo de interesse do público, como um e-book, em troca do e-mail e informações e alguns dados adicionais. As opções de segmentação são variadas e vão desde o gênero até a área de atuação do usuário.

 

2) Faça títulos matadores

O título é o aspecto mais importante de seu e-mail, pois ele será o responsável por chamar a atenção do usuário e fazer seu e-mail ser aberto e lido.

Seja específico, utilize termos que chamem atenção e, se possível, faça uma pergunta para despertar a curiosidade do leitor — mas não se esqueça de respondê-la depois.

3) Email todo dia não!

A alta frequência no envio de e-mails é o principal motivo de descadastramento para a maioria das pessoas. Definir a frequência correta depende de diversos aspectos, como seu segmento de atuação e seu público.

A frequência ideal é aquela que te permite criar conteúdo de qualidade e que seus assinantes não se sintam incomodados. Para encontrar esse equilíbrio, pense no objetivo do e-mail, converse com seus assinantes se possível e fique atento à quantidade de pessoas que cancelam a assinatura.
4) Chame a pessoa pelo nome

Diferentemente de anúncios comuns que são direcionados para a grande massa, o e-mail marketing é mais individual. Isso possibilita uma série de personalizações que o torna muito mais exclusivo — e isso pode significar mais conversões.

Se possível, chame o destinatário pelo nome. Assim, o usuário sentirá que aquele e-mail foi escrito especialmente para ele. Outra dica é assinar seus e-mails com um nome pessoal e não em nome da empresa. As pessoas preferem se relacionar com outras pessoas, não com máquinas ou empresas. Use isso a seu favor!

5) Automatização já!

As plataformas de automatização são excelentes para criar um fluxo relevante de informações de acordo com o comportamento do internauta. Por exemplo, se um internauta abriu um email e clicou em um link, pode-se programar o envio de um outro email com informações complementares sobre o assunto para 24 horas depois. Já outro internauta que não abriu o email, pode-se enviá-lo novamente, só que com outro assunto. As possibilidades de combinações são infinitas.