Marketing de conteúdo: Conheça meu check list com os 5 itens para produzir conteúdo com alto engajamento

 

marketing-de-conteúdo2

Quem acompanha o Zanini Responde sabe que produzir conteúdo de valor é o segredo para ser encontrado por clientes e prospects, ser reconhecido como autoridade no assunto e construir relacionamentos.

Qualquer empresa ou profissional pode (e deve) produzir conteúdo. Alguns exemplos clássicos de conteúdo: vídeos, artigos, ebooks, aplicativos, podcasts, infográficos, enquetes, cursos, álbuns, etc.

Isso já é de conhecimento da maioria. Mas o que poucos sabem e muitos me perguntam é como escolher um “tema matador”, aquele que sempre irá atrair a atenção do público certo, ser reconhecido como algo de valor e, consequentemente, ser compartilhado na web.

Para produzir conteúdo eu uso um check list básico com 5 itens, uma espécie de roteiro para me guiar na produção de meus artigos e vídeos, que vou compartilhar em primeira mão com vocês.

É um questionário com 5 perguntas cujas respostas vão me dar a estrutura-mestre do conteúdo e que você pode aplicá-lo para seu negócio também.

Vamos lá:

1) Quem é o público-alvo?

Essa resposta vai me ajudar a identificar para quem vou produzir conteúdo. Ao definir um nicho ou mais, fica mais fácil elaborar uma mensagem direcionada, aumentando a afinidade entre o emissor e o receptor.

Você pode até criar uma persona ou avatar, ou seja, atribuir características psicossociais ao seu público como por exemplo: João Paulo, 35 anos, casado, pai de dois filhos, advogado, mora em São Paulo, está sedentário, quer ter mais tempo para cuidar de si e melhorar a qualidade de vida da sua família.

2) Quais problemas ou aspirações o público alvo tem?

Um conteúdo deve aliviar uma dor (problema) ou satisfazer um desejo (aspirações). Na essência esses são os dois principais objetivos do marketing de conteúdo. No caso da nossa persona, o João Paulo, sua aspiração é ter mais tempo para si e melhorar a qualidade de vida da sua família.

Para este público, uma loja de móveis planejados ou um escritório de arquitetura podem desenvolver uma série de ebooks e/ou vídeos mostrando como montar um home office funcional de acordo com cada profissão. Afinal, trabalhar em casa é uma maneira de ter mais tempo para si e também para se dedicar à família.

3) Quais são as power words do público-alvo?

Power words são palavras estratégicas usadas pelo meu público-alvo quando ele está falando sobre suas dores ou aspirações. Você consegue descobrir essas palavras de diversas maneiras: examinando posts e comentários de grupos no Facebook, vendo vídeos no Youtube, lendo blogs ou até conversando pessoalmente com sua persona.

Por exemplo, nos comentários de um vídeo sobre qualidade de vida produzido por um famoso coach, encontramos o seguinte depoimento do João Paulo: “Sou advogado e me sinto muito cansado com essa rotina do escritório onde trabalho. Quando chego em casa, não tenho disposição para brincar com meus filhos ou ficar com minha esposa. Penso em me mudar para mais perto do escritório para ficar menos tempo no trânsito. Mas meu sonho mesmo era trabalhar em casa. Um dias desses vou pedir as contas e começar um negócio próprio.

No texto ou no script do seu vídeo, use essas power words. Elas vão intensificar a identificação e prender a atenção do seu interlocutor. O pensamento do João Paulo será: “nossa, parece que esse conteúdo foi feito pra mim”.

4) Como posso ajudá-los?

Identificada a dor ou a aspiração e as power words da sua persona, você deve definir de que forma pode ajudá-la. Lembre-se: marketing de conteúdo não é para oferecer um produto ou serviço, e sim sugestões, dicas, técnicas, passo-a-passo, tudo de forma didática, do assunto que você domina.

O objetivo é oferecer algo de valor para que você seja encontrado por seu público e, gradativamente, vá se tornando-se conhecido, construindo relacionamentos e criando reputação.

Já demos o exemplo de conteúdo que a loja de móveis e o escritório de arquitetura poderiam oferecer para ajudar as aspirações do João Paulo. Mas há uma série de outras possibilidades.

Uma marca de bicicletas pode desenvolver um aplicativo com roteiros de lazer para famílias que podem ser feitos pedalando. Um coach, especializado em reposicionamento de carreiras, pode oferecer um ebook com dicas de como fazer essa transição. E por aí vai.

5) Qual a minha Proposta de Valor?

Proposta de valor é aquilo que lhe torna único, diferente de seus concorrentes. Ela deve ser sintetizada em uma sentença curta, que seja fácil de entender, destacando benefícios adicionais que você possui e a concorrência não.

Assim, o seu conteúdo não vai ser visto como igual a tantos outros já existentes. O “selo de especialista” confere um alto grau de prestígio e confiança. O escritório de arquitetura pode ter como proposta de valor o desenvolvimento de projetos exclusivamente para quem quer trabalhar em casa. Já o coach pode ter até como especialização o gerenciamento de carreiras na área jurídica.

Essas são as 5 perguntas que uso para embasar meu conteúdo. Elas podem ser usadas para produzir conteúdo para sua empresa, de qualquer setor.

Caso você queira mais informações sobre marketing de conteúdo para seu negócio, é só escrever para deniszanini@deniszanini.com.br

 

 

 

Recomendado para você!