Em qual rede social minha empresa deve estar?

Por Denis Zanini (publicado originalmente na edição de junho de 2012 da revista Negócios da Comunicação)

Simultaneamente à colossal ascensão do Facebook – que caminha a passos largos para ser a primeira rede on-line a alcançar a marca de 1 bilhão de usuários cadastrados – e de outros sites de relacionamento social (You Tube, Twitter, Pinterest, Instagram), alguns pontos de interrogação ganham proporções gigantescas na cabeça do empresário: em qual mídia social minha empresa deve estar? Preciso estar em todas?

As dúvidas são pertinentes. Existem milhares de redes sociais (sim, milhares, se considerarmos as redes fechadas, como as de escolas e empresas, que se utilizam de plataformas como o Ning) espalhadas pelo mundo. Mas, ao contrário do que muitos possam imaginar, a resposta é simples: a empresa deve estar naquelas mídias sociais que tenham relevância estratégica para o seu negócio. Pergunte-se: 1) Qual o meu objetivo nessa mídia social?; 2) Que tipo de conteúdo vou postar?; 3) Tenho budget, infraestrutura técnica e profissionais capacitados para manter meu perfil atualizado, com conteúdo relevante?

Sim, as redes estão cada vez mais profissionalizadas. O espaço para amadorismo e experimentações está acabando. Só postar no Facebook uma mensagem de “bom dia” com uma imagem do sol não surte mais efeito. Portanto, entrar em uma rede sem planejar, apenas por modismo, ou por que seu concorrente entrou, tende a ser um grande equívoco. Se sua empresa consegue manter apenas um blog e um página no Facebook, mas com conteúdo atraente e exclusivo, ótimo. Muito melhor do que não ter nada ou estar em várias redes, de forma inconsistente.

É preciso pensar no escopo do negócio antes de se lançar no mundo 2.0. Por exemplo: para uma editora de livros, o SlideShare, onde ela pode compartilhar capítulos teaser de suas obras, é uma excelente opção. Já para um lanchonete, talvez não. Para ela seria melhor ter um venue (local) no Foursquare, no qual ela pode oferecer promoções especiais para os clientes. Para uma confecção que vende por e-commerce, uma página no Pinterest certamente trará mais retorno do que estar cadastrada no Foursquare. E por aí vai.

Posso afirmar categoricamente que pior do que não fazer parte de um rede é estar presente com um página com conteúdo insignificante ou desatualizado. Ou pior: replicar o mesmíssimo conteúdo do site em todas as outras redes, sem customização. Isso acaba revertendo de forma negativa para a empresa.

E nunca é demais lembrar: mídias sociais são vias de mão dupla. Portanto, feitas para interagir, para desenvolver conversas e, para isso, sua empresa precisará de profissionais aptos para desenvolver essa função. Não é difícil achar páginas no Facebook ou perfis no Twitter com perguntas, elogios ou reclamações feitas por internautas há meses, sem resposta.

Sua empresa não precisa estar em todas as mídias sociais se não houver necessidade estratégica ou budget para isso. A Tecnisa está presente com grande competência em todas as mídias sociais mais relevantes porque, além de ter capacidade técnica e estofo financeiro, faz parte do posicionamento estratégico da corporação.

Portanto, antes de entrar em uma rede social, pesquise, planeje, desenvolva e só depois aperte enter.

Recomendado para você!